A conquista do escritor

A conquista do escritor
Foto: Francimar Bezerra de Almeida

      Considero lindo o termo clássicos da literatura brasileira, clássicos da literatura mundial. Fico encantada com as análises literárias dos professores de literatura, dos críticos. Primeiro porque estes clássicos geralmente contam muito da realidade em que viveram os autores, segundo porque considero que estas obras foram escritas por escritores altamente competentes.
     E então me pergunto: será que eu serei uma escritora competente como os autores clássicos? Será que eu conseguiria escrever um livro bom o suficiente para ganhar o Prêmio Nobel de Literatura? Ah, um sonho. Um daqueles sonhos gigantes, daqueles gigantes do livro João e o pé de feijão.
     Escrevo desde os treze anos. E conto histórias que foram me acompanhando com o passar dos anos. Mas sabe qual é a verdadeira conquista do escritor? Não é um reconhecimento nacional ou internacional. Eu, aqui nos meus quase cinquenta anos ainda quero alcançar grandes momentos como escritora. A grande conquista do escritor é aquela em que consegue encantar o leitor. Aquele que está tão perto de você que deseja dividir suas emoções e conversar sobre a história e entrar na história.
     Nesse ponto me sinto realizada, pois tenho partilhado tais emoções com algumas pessoas seletas. O objetivo do escritor não é só contar histórias. É levar reflexões a partir de suas palavras expressas no correr de um texto. Senão, escrever por escrever não basta. Assim, a conquista do escritor é a resposta do leitor. Segue uma destas respostas.

“ A Travessia dos Sete Céus, uma aventura no mundo sagrado” deixa o leitor encantado e curioso desde a primeira página. Somos instigados a ler cada vez mais, mesmo que o sono esteja apertando. A cada capítulo eu imaginava a cena como se fosse um filme. Bem que poderia virar um filme. Eu iria assistir mil vezes.  A você, escritora, pessoa a quem conheço e admiro muito, meu muito obrigada por proporcionar este grandioso efeito literário em minha vida. Pois enquanto lia, me sentia com mais e mais vontade de ler.A história é fantástica e rica em detalhes que faz o leitor se envolver. Ah, como queria ter sonhado pelo menos um dia fazendo parte dos lindos e encantadores personagens porque todos eles são seres dignos, repletos de humanidade. Estou ansiosa pela parte II.
Da leitora: Joana Darc de Sousa 

Texto: Francimar Bezerra
Professora, jornalista, escritora

 

Compartilhar

Deixe uma resposta