A emoção à flor da pele

A emoção à flor da pele
Imagem disponível em: https://www.vezdavoz.com.br/o-que-significa-sonhar-com-choro/

            Dizem que a vida vai nos endurecendo, nos deixando com o couro grosso. Sei não, mas às vezes penso que essa filosofia popular não é para todos. Apesar de ter certeza de que podemos melhorar como pessoas a cada dia e, que, com o tempo aprendemos a controlar nossas emoções, nos tornamos mais equilibrados, menos afoitos e mais racionais, isso não vale pra toda gente. 
            Há pessoas que nunca choram. Isso é uma coisa horrível, pois chorar é bom demais pra gente aliviar as pressões. Mas também é uma cena pra lá de cômica. A cara incha toda, o vermelho toma conta de tudo, a roupa encharca , quando a maquiagem não borra toda, hem?
          Mas chorar não é pra todos. Chorar é para quem tem a emoção à FLOR da pele. Tenho um primo que, quando o nível alcoólico dele passa do permitido pelo fígado, ele chora. Por todo mundo. Chora pelo sofrimento das pessoas mais distantes que você possa imaginar. É muito engraçado, mas é comovente.
         Nestes tempos de pandemia, temos chorado mais. Por medo, por apreensão, por raiva, por tristeza dos que se foram. Mas temos chorado também de alegria, de emoção, de fé. E esse choro é diferente. Não é aquele choro sofrido que a gente tem que entrar debaixo do chuveiro e derramar toda a carga emocional em soluços, aquele choro que você não consegue mais segurar.
      O choro feliz muitas vezes é silencioso, contemplativo, agradecido. Outras vezes vem acompanhado de risadas. Especialmente agora, quando recebemos boas notícias, quando Deus nos mostra que está realmente no controle. 
         De qualquer forma, para os racionais, que nunca choram, que controlam perfeitamente a emoção, seja de raiva, de medo, de tristeza ou de alegria, que bom pra você. Mas eu gosto mesmo é daqueles que derramam suas cachoeiras internas sem vergonha de mostrar seus sentimentos.
           Então, se tiver que chorar, que chore. Sejam as lágrimas silenciosas ou a gritaria acompanhada dos gritos de alegria. Hoje eu chorei com gritos de alegria. O coração sabia que a gente ia vê-la. E lá estava ela ao vivo! Sorrindo demais, feliz demais! E tudo que a gente sabia era dar tchauzinho pra ela na chamada de vídeo. Uma vitória! E as lágrimas derramando. Lágrimas de gratidão a Deus.  Porque uma amiga está bem, depois de passar pela tormenta mais forte desta pandemia em que nos vemos acuados. Seja bem vinda, amiga!   

 

Francimar Bezerra 
Professora, Jornalista, Professora 

 

 

 

 

Compartilhar

Deixe uma resposta