CNBB E CONIC FAZEM ABERTURA OFICIAL DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE ECUMÊNICA 2021.

CNBB E CONIC FAZEM ABERTURA OFICIAL DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE ECUMÊNICA 2021.
Imagem disponível em: https://mab.org.br/2021/02/11/campanha-da-fraternidade-2021-nota-de-solidariedade-do-mab-ao-conselho-nacional-de-igrejas-cristas-do-brasil-conic-e-a-conferencia-nacional-dos-bispos-do-brasil-cnbb/

   Nesta quarta-feira, 17 de fevereiro, quarta-feira de cinzas, tempo sagrado quaresmal vivenciado e celebrado em todo o Brasil pelos cristãos católicos, é feita também a abertura da Campanha da Fraternidade sempre organizada pela CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.
     Este ano a Campanha da Fraternidade tem formato ecumênico e tem a participação efetiva do CONIC – Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil. Ou seja, várias igrejas cristãs deve se engajar na CFE – Campanha da Fraternidade Ecumênica.
   Esta participação será um desafio importante, tanto quanto o tema escolhido: “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor” e o lema “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade” (Ef. 2.14). Tendo em vista os rumos que levam a humanidade para a discórdia, a intolerância, o racismo e o preconceito contra pessoas que não atendem o padrão pré-estabelecido de comportamento, de pensamento, forma e de cor, pode-se dizer que é o momento oportuno para a reflexão e ação em busca de diálogo, conhecimento e respeito ao diferente que está todos os lugares de convivência social.
    Criada em 1961 por três padres da Cáritas do Brasil que idealizaram uma campanha com o objetivo de arrecadar fundos para os pobres, a primeira edição da Campanha da Fraternidade aconteceu na quaresma de 1962, na cidade de Natal, Rio Grande do Norte. 
  No ano seguinte foram dezesseis dioceses do Nordeste realizando a CF. Em 1964 a campanha aconteceu a nível nacional. 
    A escolha do tema de reflexão e ação durante a quaresma, pela CNBB é sempre urgente considerando-se a realidade em que se encontra a sociedade. “ É sempre um convite à conversão para a prática da justiça social, da solidariedade, da partilha e do amor ao próximo” , explica o Pe. Camilo em seu vídeo disponível no endereço: https://www.a12.com/redacaoa12/como-surgiu-a-campanha-da-fraternidade-15-02-2019-08-19-17
   Será um desafio unificar as igrejas cristãs em torno da Campanha da Fraternidade Ecumênica. Há grande resistência no seio católico pois o texto base vem do CONIC e não somente da CNBB. Os manifestantes não aceitam a relatoria do texto base por uma pastora protestante. No entanto, sob esta fúria se escondem questões relativas a dogmas, conservadorismo e preconceitos quanto à abertura da igreja católica para o ecumenismo, para o diálogo inter-religioso necessário à solidariedade entre todos os povos.
  Fazem parte do CONIC as seguintes igrejas cristãs: Aliança de Batistas do Brasil – ABB , Igreja Católica Apostólica Romana – ICAR, Igreja Episcopal Anglicana do Brasil – IEAB, Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil – IECLB, Igreja Presbiteriana Unida – IPU  Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia – ISOA. 

 

Da Redação
Francimar Bezerra 

 

 

Compartilhar

Deixe uma resposta