Declaração de uma professora em tempo de pandemia da COVID

Declaração de uma professora em tempo de pandemia da COVID
Imagem disponível em: https://educaethos.com.br/ensino-hibrido-quais-os-beneficios-e-desafios-desse-modelo/

     Então…sou uma professora também…é tanta notícia entristecedora, e mesmo com elas, tentamos nos manter firmes, cheios de esperança. E o mais importante. Tentar manter esta esperança viva nos corações dos pais e dos alunos. Afinal de contas, 2020 acabou. E quem pensou que a pandemia iria acabar com o fim do ano, enganou-se totalmente. Não porque esta ideia fosse impossível, mas porque muita gente não cumpriu os protocolos recomendados de afastamento social, de não aglomeração e uso de máscara obrigatório. E simplesmente porque ainda tem gente que considera esta pandemia uma fake news! 
    Pois é, você não sabia? Ainda tem gente resistindo à vacina como caminho para males como este, ainda tem uns cabeçudos que ignoram o uso da máscara e ainda tem uns miolos moles que tem absoluta certeza que a ivermectina é um antibiótico que vai matar o vírus. Pronto. Mal, o vermífugo famoso não vai barrar o vírus de se espalhar por aí. Fará uma limpeza sim nos piolhos dos meninos de sangue doce e em alguns vermes…tem mais, mas nada tão miraculoso como se fosse uma vacina.
      Eu só sei de uma coisa. Começamos as aulas em 2021 ainda em regime não presencial. A maioria dos professores está mantendo a esperança, firme. Querendo passar positividade para os alunos. Mas veja o lado bom. Já descobrimos nestes primeiros dias letivos que há um monte de criança e pais e mães que não desligaram da escola, que estão levando a sério as aulas não presenciais e mesmo, muito deles totalmente irados por causa de tantos grupos de WhatsApp no seu celular e tendo que entregar o telefone para o filho adolescente fazer a atividade, estão acreditando. 
    Assim, para os pais que estão confiantes e levando a educação dos filhos com seriedade e para os professores confiantes, dando confiança aos alunos e pais e comunidade, nosso eterno agradecimento. Vamos dá conta de descascar estes abacaxis e pepinos e matar estes leões. 
     Disso eu tenho certeza. Mesmo que fiquemos mais loucos que o normal. 

 

Francimar Bezerra 
Professora, Escritora, Jornalista do NF CLASSIFICADOS 

Compartilhar

Deixe uma resposta