Falando Sobre o Perdão

Falando Sobre o Perdão
Imagem disponível em: https://formacao.cancaonova.com/espiritualidade/cura-interior/o-perdao-e-remedio-que-traz-alivio-pra-alma/

           Quando erramos com uma pessoa e queremos nos harmonizar com ela, buscamos o perdão. A motivação para isso é obter o perdão de verdade ou a responsabilidade de harmonizar? O perdão é muito mais que simplesmente uma harmonização de relações. É não deixar que os erros interfiram de forma negativa na nossa vida, afinal, aprendemos com eles e por muitas vezes é por causa deles que nos tornamos pessoas melhores. Todos merecem o perdão.

           Retornei às lembranças uma situação que aconteceu comigo há alguns anos e que me fez refletir sobre o perdão. E, nessa reflexão, senti vontade de mergulhar profundamente sobre o quanto estamos prontos, dispostos a perdoar.

           Uma amiga teve uma atitude que me magoou muito. Por considerá-la a minha melhor amiga tomei iniciativa em chamá-la para conversar e esclarecer o assunto. Intimamente eu não aceitava que ela tivesse tido tais atitudes, pois éramos amigas, eu confiava nela, confidenciava meus sonhos e minha vida.

           No decorrer da conversa esclarecedora, ouvi o pedido de perdão, reconhecimento do erro, a lamentação do abalo da amizade, mas não ouvi o arrependimento e assim, não consegui perdoar. Talvez, por orgulho, ou por querer que ela dissesse que estava arrependida. Mas ela não estava. Decidi me afastar e disse que assim seria melhor, pois estava magoada e não conseguia conviver com ela depois desta quebra de confiança e traição. Ela se colocou aberta a qualquer contato e esperançosa pelo meu perdão. Eu me despedi dizendo que ela estaria perdoada no dia que se arrependesse e nem precisávamos conversar sobre o assunto pois nós duas saberíamos que isso acontecera.

          Fui dura e radical.

          Convivi com estas dores por quase três anos. O tema sempre vinha à minha mente e cada vez que isso acontecia era tomada por uma avalanche de sentimentos: mágoa, ressentimento, angústia, fracasso, raiva e outras coisas que só me deixavam mais magoada e triste. Talvez estes três anos foram de espera de um contato dela dizendo que se arrependeu e me pedisse perdão de verdade. Mas isso não aconteceu. Ela seguiu a vida, buscou ser feliz e eu continuei remoendo os acontecimentos e alimentando todos aqueles sentimentos que cada vez ficavam mais intensos e me ferindo.

           Um dia, encantada por uma mensagem de Natal que eu recebi por e-mail, refleti muito. A mensagem falava de amor e perdão. Entendi que, como uma pessoa cristã, eu estava errada e então busquei o perdão de Deus. Estava machucada e estas feridas estavam causando uma dor horrível, mas eu mesma estava provocando isso tudo. Eu entendi que era preciso retomar àquele momento que conversamos e pensar de uma forma diferente. Como dizia na mensagem que recebi: pensar com amor. E o amor que eu sentia por ela ainda existia!

          Encaminhei a mensagem à ela, também por e-mail. Ela me respondeu três meses depois, surpresa com o meu contato, dizendo ser um dos dias mais felizes para ela. Eu queria compartilhar com ela tudo o que eu refleti e queria pedir perdão, dar um abraço e dizer que estava ali, sempre. Mas isso não aconteceu. Marcamos para conversar muitas vezes, mas ela desmarcou todas, sempre com uma justificativa. Deixei pra lá e segui como era conveniente à ela: apenas conviver.

           Entendi que antes de perdoar o outro, temos que nos perdoar. Nos perdoar pelas nossas falhas, pelo nosso egoísmo, nosso individualismo, nossa prepotência, nosso orgulho. Reconhecer tudo isso é um processo muito doloroso. Nessa experiência, precisei voltar ao momento, reviver de uma forma diferente e só então, perdoar a mim mesma para estar pronta para pedir perdão e perdoar.

           Hoje me encontro tranquila referente a esta situação, sem ressentimentos por não ter acontecido conforme as minhas expectativas, mas segura que eu fiz o meu melhor.

           Nunca é tarde para perdoar e se perdoar. Deixe o orgulho de lado e volte atrás! Se refaça.

           Mas faça isso de coração aberto e consciência tranquila.

Maria Almeida

Compartilhar

Deixe uma resposta