Políticos, pastores e padres em meio à pandemia

Políticos, pastores e padres em meio à pandemia
Imagem disponível em : https://criativaonline.com.br/peregrinos-realizam-caminhada-em-homenagem-a-santiago-de-compostela/

Uma batina não faz um padre.
Uma bíblia não faz um evangélico.
Um discurso não faz um bom político. 

       Hoje eu quero falar de uns espantos que tenho tido. Ainda. Como está seu nível de medo? De estresse? De irritação? De indiferença para com a realidade que estamos vivendo?  Outro dia, ouvi de um amigo que presta serviço no meu trabalho: 2020 está fora do calendário. Sim, porque quanto mais rezamos, mais assombrações nos aparecem. 
       Ah, não me diga que você está levando isto tudo numa boa? Então você já estava fora do mapa quando tudo isso começou. Então sua opinião não vale. Tenho ouvido muita gente que está às vias de saltar do planeta, e cair no espaço sideral com alguma esperança de que tudo por lá pode estar melhor do que aqui.
       Então, como se não bastasse líderes mundiais metendo os pés pelas mãos e se aproveitando da pandemia pra triplicar os milhões escondidos, apropriados indevidamente, ainda temos que morrer de vergonha com padres e pastores sendo presos e acusados de participar de grandes e minuciosas redes criminosas, movimentando trilhares de reais pertencentes a qualquer pessoa, menos a eles.
       Poxa vida! Que embaraçoso! Especialmente para aquelas pessoas que fazem questão de fechar os olhos para os defeitos de religiosos e políticos, que são homens. Que ninho de intrigas e corrupções! Pelo menos, não podemos acusar que são os católicos e nem que são os evangélicos os pecadores. Somos todos nós. Uns mais que outros, pois as mentiras ditadas em palanque, incitar o medo, implodir a própria equipe de trabalho com humilhações e espezinhamentos, pra mim, é um pecado grave.
       No meio dessas máfias que não perdoam nem a presença da divindade e os ditames sagrados, desejamos padres mais estudados no fenômeno religioso e menos  no fenômeno econômico. Desejamos ainda pastores mais estudiosos nos textos sagrados e como estes se encaixam na vida dos fieis e menos dedicados aos cargos e regalias que oferecem o poder político.
        E claro, não podemos deixar de desejar que os políticos escolhidos sejam aqueles que conhecem a realidade do povo e se coloque a serviço e não o coloque a seu serviço.  

Francimar Bezerra
Professora, Jornalista, Escritora, Cientista da Religião 
Coordena a coluna ÁGUA CORRENTE e a redação do Blog  NF CLASSIFICADOS

Compartilhar

Deixe uma resposta