RETROSPECTIVA 2020 NF CLASSIFICADOS – ABRIL

RETROSPECTIVA 2020 NF CLASSIFICADOS – ABRIL
Imagem disponível em: https://www.dw.com/pt-br/o-m%C3%AAs-de-abril-em-imagens/g-52987597

       Segundo o Copernicus, o programa de observação da Terra da União Europeia (UE) abril foi o mês mais quente já registrado no mundo. A temperatura do quarto mês de 2020 foi praticamente igual a abril de 2016, quando foram registradas as mais altas de todos os tempos desde que o homem começou a registrar mecanicamente o calor em todo o planeta.
      Em abril, a Alemanha lembrou 75 anos da libertação dos campos de concentração. Por causa da pandemia do novo coronavírus, as comemorações se restringiram a uma cerimônia virtual e atos não abertos ao público. A Espanha superou a marca de 20 mil mortos por coronavírus neste mês alcançando um total de 20.043 mortos. Em 18/04 eram 191.726 casos segundo o Ministério de Saúde da Espanha.
      O Conselho Federal de Medicina, no Brasil, afirmou que não havia comprovação de eficácia do medicamento hidroxicloroquina no tratamento de pessoas com COVID-19. Esta declaração foi dada após reunião com o Presidente Bolsonaro. Apesar do parecer contrário ao que defendia o líder do Executivo, o conselho liberou os médicos para receitarem a substância em três situações específicas. Apesar de sugerir esta prescrição, o conselho não aprovou na ocasião, o uso da hidroxicloroquina de forma preventiva.
        Neste mês, o número de enterros triplicou em Manaus. O aumento se deu devido aos mortos por COVID-19 no estado. O governo federal começou a pagar o auxílio emergencial em três parcelas de R$ 600,00. A medida visava amenizar os efeitos econômicos durante a pandemia.
       Ainda em abril, o Presidente da República Jair Bolsonaro assinou medida provisória de nº 934 dispensando escolas de cumprirem o mínimo de 200 dias letivos. A medida valeu para educação básica e também universidades. Para manter a rotina de estudos durante a pandemia, vários sistemas escolares adotaram o regime de aulas não presenciais. Os estudantes passaram a ser acompanhados pelos familiares que foram obrigados a conciliar o trabalho regular, as atividades de casa e as atividades escolares de seus filhos. 
          No dia 16 de abril o presidente demitiu o Ministro da Saúde Henrique Mandetta por discordar das posturas e medidas do ministro referente ao combate do coronavírus no Brasil. Logo em seguida, em 24/04 Sérgio Moro, ex-juiz e ministro da Justiça e Segurança Pública renunciou ao cargo depois de desentendimento com o presidente Jair Bolsonaro sobre o Diretor Geral da Polícia Federal. Moro acusou Bolsonaro de interferir na PF para obter informações sobre inquéritos em andamento.
            O mundo contabiliza mais de um milhão de caso de infetados por coronavírus.  

Da Redação: Francimar Bezerra

Compartilhar

Deixe uma resposta